07h00 - sexta, 06/04/2018

Nova espécie mineral
descoberta em Odemira

Nova espécie mineral descoberta em Odemira

Tem um tom entre o amarelo e o castanho e é algo nunca antes visto no mundo da mineralogia. Foi nas antigas minas da Herdade dos Pendões, cinco quilómetros a norte de Odemira, que o mineralogista Pedro Alves descobriu um novo membro do grupo da jahnsite, já reconhecido oficialmente pela IMA-Associação Mineralógica Internacional, a entidade que gere mundialmente todas as questões relacionadas com a mineralogia. Ou seja, a partir de agora Odemira fica a ser, para os mineralogistas de todo o mundo, a localidade-tipo (localidade de referência/ origem) desta nova espécie mineral.
"È um momento importante, sobretudo, para o nosso país, que tem uma riqueza mineralógica muito importante à qual nunca se deu muita atenção", observa ao "CA" o mineralogista de 39 anos. "E é bom lembrar que Portugal tem, neste momento, 12 minerais com localidade-tipo num universo de 5.400", acrescenta Pedro Alves, que é natural de Monção e trabalha no laboratório mineralógico da EPDM, nas minas de Aljustrel.
A descoberta desta nova espécie, a quem a IMA atribuiu o código 2017-113, é fruto do trabalho que Pedro Alves tem vindo a realizar desde há dois anos, por interesse pessoal, nas minas da Herdade dos Pendões. "Sou mineralogista e vou a antigas minas para conhecer a mineralogia que era explorada ou que existe nesses locais. Ora esta mina tem uma mineralogia muito rica, embora seja pequena. E dentro dos vários minerais que lá foram identificados, cerca de 40, um deles tinha uma forma e uma composição que não encaixavam com nada conhecido", lembra.
Começou então um processo moroso e minucioso, que durou cerca de dois anos até ao pedido de reconhecimento submetido à IMA. "Fiz primeiro uma análise química e depois enviei para os EUA, para confirmar a estrutura do mineral. E chegou-se à conclusão que com aquela estrutura e com aquela composição química era uma espécie nova", revela Pedro Alves, que contou ainda com a colaboração de mineralogistas da Rússia e da República Checa. "Unindo os esforços de todos conseguimos obter toda a informação para estarmos em condições de propor o mineral à IMA", diz.
Segundo Pedro Alves, "é o conteúdo em zinco que distingue esta nova espécie das outras jahnsites", que são fosfatos de ferro, manganês e cálcio. "É a primeira jahnsite que tem zinco e que surge em quantidades suficientes para constituir uma nova espécie", sublinha o mineralogista, reconhecendo que esta descoberta tem mais interesse científico que propriamente económico.
"Mas o facto de ter zinco quer dizer que existe este mineral nesta zona. Em quantidades pequenas, é certo, mas se calhar em profundidade poderá existir zinco e cobre em quantidades que sejam economicamente viáveis. Não neste momento, mas num futuro em que a escassez de minerais faça com que isso aconteça", acrescenta, admitindo a possibilidade de novas espécies minerais virem a ser descobertas na região, apesar de tal ser, de momento, mais comum em meteoritos ou em zonas vulcânicas.
A oficialização desta nova espécie mineral deverá ser anunciada dentro de poucas semanas pela IMA, que já notificou Pedro Alves para efeito. Depois o mineralogista português terá dois anos para publicar a sua descoberta numa revista científica.
Esta é a segunda vez que Pedro Alves passa por este processo, depois de em 2015 ter sido o primeiro português a submeter uma nova espécie mineral à IMA, na ocasião a zincostrunzite, que tem Gouveia como localidade-tipo. "Em termos pessoais é uma grande satisfação chegar a este ponto", conclui.


COMENTÁRIOS

* O endereço de email não será publicado
07h00 - terça, 18/09/2018
Protocolo entre
Câmara de Aljustrel
e Associação Dignitude
A Câmara de Aljustrel e a Associação Dignitude assinaram nesta segunda-feira, 17, um protocolo de colaboração tendo em vista a concretização do programa ABEM-Rede Solidária do Medicamento no concelho.
07h00 - terça, 18/09/2018
EMAS Beja alcança
os melhores resultados
dos últimos 10 anos
A Empresa Municipal de Água e Saneamento (EMAS) de Beja faz um balançao "extremamente positivo" dos trabalhos da intervenção global de substituição de ramais que decorre por todo o concelho de Beja desde o início de 2018.
07h00 - terça, 18/09/2018
Vestígios arqueológicos
encontrados em Ourique
As obras de requalificação do centro histórico de Ourique, promovidas pela autarquia local, revelaram um conjunto de importantes testemunhos patrimoniais reveladores da história da vila, da população e dos seus hábitos comunitários de outros tempos.
07h00 - segunda, 17/09/2018
CIMBAL apresenta contributos
ao Plano Nacional de Investimentos
A modernização e electrificação da linha ferroviária do Alentejo e a afirmação do aeroporto de Beja como a Lisboa e Faro são duas das propostas apresentadas pela CIMBAL para o Plano Nacional de Investimentos (PNI) 2030.
07h00 - segunda, 17/09/2018
CIMAL quer fundos da UE
para água e saneamento
Os presidentes das cinco câmaras que foram a Comunidade Intermunicipal do Alentejo Litoral (CIMAL) reúnem nesta segunda-feira, 17 de Setembro, em Lisboa, com o secretário de Estado do Ambiente, Carlos Martins.

Data: 14/09/2018
Edição n.º:
Contactos - Publicidade - Estatuto Editorial