07h00 - quinta, 12/04/2018

Ouro para pão da
Padaria do Corvo

Ouro para pão da Padaria do Corvo

A Padaria do Corvo, de Castro Verde, voltou do Concurso Nacional de Pão, Broas e Empadas Tradicionais Portugueses deste ano com uma medalha de Ouro na categoria "Pão de Trigo Alentejano", melhorando o resultado alcançado um ano antes.
"Trabalhámos para conseguir o melhor prémio e conseguimos", nota com satisfação o gerente da Padaria do Corvo. "O facto de termos ganho um prémio acima do que tivemos o ano passado é bastante satisfatório e sinal que se reflectiu o trabalho que fizemos ao longo deste ano. Tentámos melhorar alguns pontos, acima de tudo no ponto de cozedura do pão. E resultou! Foi uma satisfação enorme e vamos tentar trabalhar para manter este prémio associado à nossa marca", acrescenta Bruno Mestre, de 36 anos.
O Concurso Nacional de Pão, Broas e Empadas Tradicionais Portugueses é uma organização do CNEMA/ Centro Nacional de Exposições, em parceira com a Qualifica/ oriGIn Portugal, e decorre no âmbito da Feira Nacional de Agricultura / Feira do Ribatejo. O objectivo é "premiar, promover, valorizar e divulgar o genuíno pão tradicional português". A Padaria do Corvo inscreveu o nome entre os vencedores na categoria "Pão de Trigo Alentejano" e Bruno Mestre não prescinde o segredo do sucesso.
"É um pão verdadeiramente alentejano, feito à base de massa-mãe, o chamado fermento caseiro ou massa azeda. Depois tem os tempos de levedura e os tempos de cozedura necessários, que fazem deste um pão mais tradicional e o verdadeiro pão alentejano", revela o empresário castrense, que não esconde que o prémio alcançado ajuda ao negócio.
Já em 2017 "sentiu-se uma ligeira atenção por parte de quem comprava, que sabia estar a comprar um pão classificado. E espero que com esta medalha de ouro possamos ultrapassar essa procura", diz Bruno Mestre.
Ainda assim, o empresário garante que este prémio não vai mudar a forma de estar (e trabalhar) da Padaria do Corvo. "Vamos continuar a trabalhar com o cuidado que sempre tivemos, independentemente de virmos a ganhar outros prémios. A qualidade será sempre a mesma, daí não queremos aumentar muito a produção para mantermos esta qualidade", afiança Bruno Mestre.
A Padaria do Corvo emprega 11 pessoas e transforma cerca de 300 toneladas de farinha em pão por ano. Os seus produtos são distribuídos em Castro verde e concelhos limítrofes (tem lojas próprias em Castro Verde e Beja), além também estarem presentes no Algarve, de Faro a Silves. Mas Bruno Mestre quer ver o negócio ir mais além.
"Estamos a lançar um projecto de angariação de parceiros, para quem queira ser nosso representante no Algarve", revela, explicando que a ideia passa pela criação de lojas idênticas à da Padaria do Corvo em Castro Verde e que só venda produtos deste concelho. "O projecto está a ser implementado e já temos pessoas interessadas", garante Bruno Mestre.


Notícias Relacionadas

COMENTÁRIOS

* O endereço de email não será publicado
07h00 - terça, 18/09/2018
Protocolo entre
Câmara de Aljustrel
e Associação Dignitude
A Câmara de Aljustrel e a Associação Dignitude assinaram nesta segunda-feira, 17, um protocolo de colaboração tendo em vista a concretização do programa ABEM-Rede Solidária do Medicamento no concelho.
07h00 - terça, 18/09/2018
EMAS Beja alcança
os melhores resultados
dos últimos 10 anos
A Empresa Municipal de Água e Saneamento (EMAS) de Beja faz um balançao "extremamente positivo" dos trabalhos da intervenção global de substituição de ramais que decorre por todo o concelho de Beja desde o início de 2018.
07h00 - terça, 18/09/2018
Vestígios arqueológicos
encontrados em Ourique
As obras de requalificação do centro histórico de Ourique, promovidas pela autarquia local, revelaram um conjunto de importantes testemunhos patrimoniais reveladores da história da vila, da população e dos seus hábitos comunitários de outros tempos.
07h00 - segunda, 17/09/2018
CIMBAL apresenta contributos
ao Plano Nacional de Investimentos
A modernização e electrificação da linha ferroviária do Alentejo e a afirmação do aeroporto de Beja como a Lisboa e Faro são duas das propostas apresentadas pela CIMBAL para o Plano Nacional de Investimentos (PNI) 2030.
07h00 - segunda, 17/09/2018
CIMAL quer fundos da UE
para água e saneamento
Os presidentes das cinco câmaras que foram a Comunidade Intermunicipal do Alentejo Litoral (CIMAL) reúnem nesta segunda-feira, 17 de Setembro, em Lisboa, com o secretário de Estado do Ambiente, Carlos Martins.

Data: 14/09/2018
Edição n.º:
Contactos - Publicidade - Estatuto Editorial