07h00 - quarta, 20/06/2018

Jovens "cientistas"
de Odemira premiadas

Jovens "cientistas" de Odemira premiadas

Imagine-se uma pequena larva capaz de comer e digerir esferovite. E por que não utilizar este método natural para eliminar este tipo de resíduos derivados do plástico e de difícil biodegradação? Ora esta é precisamente a base do projecto que valeu a Patrícia Silva, Sophie Lenehan e Inês Oliveira, alunas do 12º ano na Escola Secundária Dr. Manuel Candeias Gonçalves, em Odemira, a conquista de dois prémios no âmbito da 26ª edição do Concurso Jovens Cientistas, integrado na XII Mostra Nacional de Ciência.
O certame decorreu no início deste mês de Junho na cidade do Porto e as três alunas odemirenses regressaram a casa com duas distinções: o prémio LIPOR, no valor de 500 euros e que distingue projectos na área do Ambiente, e uma viagem aos EUA, para a Feira Mundial de Ciência, que vai decorrer em Maio de 2019 na cidade de Phoenix.
"Vamos sempre com a vontade de fazer o melhor possível. E depois, o que vier é muito bom? Foi o que aconteceu", reconhece com satisfação Paula Canha, professora de Biologia e Geologia, e coordenadora do projecto "Tenebrio Molitor como bio-reactor para degradação de polímeros sintéticos".
O projecto que valeu a distinção a Patrícia Silva, Sophie Lenehan e Inês Oliveira, entre mais de uma centena de propostas apresentadas por alunos de todo o país, exigiu criatividade, paciência e muito trabalho às jovens odemirenses, tanto nas aulas como no Clube de Ciências da escola. E o primeiro passo a dar foi, claro está, a pesquisa!
"As alunas descobriram uns artigos científicos publicados por japoneses que provavam que este animal era capaz de comer e digerir esferovite. O que em termos de eliminação de resíduos, por exemplo, numa central de tratamento de resíduos, era muito interessante", lembra Paula Canha.
A seguir, como manda o método científico, veio a experimentação. "Elas fizeram várias experiências para verificar até que ponto estes animais podiam ser usados a nível industrial numa central de tratamento destes resíduos", conta a docente, acrescentando que nessa altura as alunas tiveram o importante apoio de um professor universitário. "Ele reviu a experiência que planificaram e viu se era necessário corrigir alguma coisa, fazendo-as pensar melhor em alguns aspectos", justifica.
Depois, chegou finalmente a conclusão. "As alunas chegaram à conclusão de uma série de condições que seriam necessárias para estes animais serem eficientes a tratar o esferovite", explica Paula Canha.
Com tudo isto, estaremos perante uma solução para o (cada vez maior) problema do tratamento de resíduos? "Elas fizeram experiências a pequena escala, agora falta experimentar a escala maior. E se resultar em escala maior, é sem dúvida uma solução muito fácil e barata de eliminar este tipo de resíduos", admite Paula Canha, sublinhando que este tipo de projectos serve igualmente para mostrar aos alunos "que a ciência também dá resposta a problemas da sociedade e da economia".


COMENTÁRIOS

* O endereço de email não será publicado
07h00 - quarta, 19/09/2018
Câmara de Aljustrel
vai ampliar Centro Escolar
A Câmara de Aljustrel vai ampliar o Centro Escolar Vipasca, no sentido de dotar o equipamento de mais salas de aula para o pré-escolar e primeiro ciclo do ensino básico, a par de novos espaços para as actividades extra-curriculares e do Centro de Animação Infantil Municipal e de uma nova sala polivalente que sirva todo o Agrupamento.
07h00 - quarta, 19/09/2018
CM Castro Verde apoia
passeios de reformados
A Câmara de Castro Verde vai apoiar os passeios anuais de reformados do concelho que irão realizar-se nas diferentes freguesias nas próximas semanas e que terão como destino vários locais no país.
07h00 - terça, 18/09/2018
Protocolo entre
Câmara de Aljustrel
e Associação Dignitude
A Câmara de Aljustrel e a Associação Dignitude assinaram nesta segunda-feira, 17, um protocolo de colaboração tendo em vista a concretização do programa ABEM-Rede Solidária do Medicamento no concelho.
07h00 - terça, 18/09/2018
EMAS Beja alcança
os melhores resultados
dos últimos 10 anos
A Empresa Municipal de Água e Saneamento (EMAS) de Beja faz um balançao "extremamente positivo" dos trabalhos da intervenção global de substituição de ramais que decorre por todo o concelho de Beja desde o início de 2018.
07h00 - terça, 18/09/2018
Vestígios arqueológicos
encontrados em Ourique
As obras de requalificação do centro histórico de Ourique, promovidas pela autarquia local, revelaram um conjunto de importantes testemunhos patrimoniais reveladores da história da vila, da população e dos seus hábitos comunitários de outros tempos.

Data: 14/09/2018
Edição n.º:
Contactos - Publicidade - Estatuto Editorial