09h00 - terça, 17/07/2018

CIMBAL exige melhores acessibilidades

CIMBAL exige melhores acessibilidades

A região necessita de melhores acessibilidades rodoviárias e ferroviária, a par da potenciação do aeroporto de Beja: são estas as reivindicações presentes na tomada de posição pública aprovada nesta segunda-feira, 16, pela Comunidade Intermunicipal do Baixo Alentejo (CIMBAL).
A tomada de posição foi aprovada por unanimidade pelo conselho intermunicipal da CIMBAL, que desta forma manifesta "publicamente o seu descontentamento sobre a forma como este território [do Baixo Alentejo] tem sido tratado pelos sucessivos governos".
Para a CIMBAL, "o dinamismo regional obriga a que as acessibilidades possam dar resposta às necessidades de deslocação de pessoas, bens e serviços", sendo que, no caso das acessibilidades rodoviárias, os municípios lembram que "há investimentos iniciados e não concluídos" e "promessas antigas, renovadas por cada governo, mas lamentavelmente incumpridas".
"A actividade económica, substancialmente intensificada mercê do regadio de Alqueva, exige uma rede viária com condições de circulação e não a de que dispomos actualmente, colocando em causa a segurança dos seus utilizadores", acrescenta a CIMBAL.
Na tomada de posição pública, os municípios afirmam ainda ser "ultrajante e até ofensivo o serviço disponível no troço [ferroviário] Beja-Casa Branca", considerando que a electrificação desta linha "é a única alternativa possível" para o distrito "dispor de um erviço ferroviário que ligue a região ao resto do país."
A CIMBAL lamenta ainda que o aeroporto de Beja continue "sem utilização condizente com a capacidade instalada", defendendo que esta infra-estrutura "seja integrada numa estratégia nacional, potenciando a sua utilização com carácter regular". "É imperativo construir uma estratégia concertada com o Governo, a região, a empresa concessionária e outras entidades responsáveis", acrescenta.
Tudo isto leva os municípios a concluir que "é necessário que a administração central possa ser um parceiro activo, assumindo as suas responsabilidades e competências". "O Governo pode contar connosco como parceiros privilegiados no desenvolvimento da nossa região, de forma a podermos contribuir para o todo nacional. Mas pode também contar connosco a reivindicar e a lutar por aquilo que qualquer cidadão deste país deve ter direito", remata a CIMBAL.


COMENTÁRIOS

* O endereço de email não será publicado
07h00 - quarta, 22/05/2019
EMAS Beja dinamiza
Mini-OP entre jovens
Seis projectos apresentados por jovens alunos de quatro instituições de ensino do concelho de Beja estão em votação na primeira edição do "Mini-Orçamento Participativo", promovido pela Empresa Municipal de Água e Saneamento (EMAS) de Beja.
07h00 - quarta, 22/05/2019
Aluna de Castro Verde
em concurso nacional
A jovem Ana Bastos, natural de Castro Verde, vai representar a região do Baixo Alentejo no Concurso Nacional "Faz Acontecer", que se realiza no próximo sábado, 25 de Maio, no arquipélago dos Açores.
07h00 - quarta, 22/05/2019
SEF identifica cidadãos
irregulares em Beja
O Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF) identificou na passada semana 16 cidadãos estrangeiros, 10 dos quais sem autorização para trabalhar em território nacional, durante uma operação de fiscalização numa propriedade agrícola em Beja.
07h00 - terça, 21/05/2019
Dia de Campo
em Castro Verde
A Associação de Agricultores do Campo Branco (AACB), com sede em Castro Verde, promove nesta terça-feira, 21 de Maio, uma visita aos seus Campos de Ensaio e Experimentação de cereais de Outono/ Inverno, de forragens, de silo-forragens e de pastagens melhoradas.
07h00 - segunda, 20/05/2019
Odemira exige
medidas para novas
instalações agrícolas
A Assembleia Municipal de Odemira exige ao Governo que sejam tomadas medidas preventivas imediatas "quanto a novos investimentos em instalações agrícolas no território" até que seja produzida decisão definitiva sobre as propostas apresentadas pelo Grupo de Trabalho do Mira para o sector.

Data: 17/05/2019
Edição n.º:
Contactos - Publicidade - Estatuto Editorial