07h00 - quinta, 10/01/2019

Baixo Alentejo
recebe 6 milhões
para coesão social

Baixo Alentejo recebe 6 milhões para coesão social

São mais de seis milhões de euros para os municípios do Baixo Alentejo dinamizarem, nos próximos três anos, novos projectos de coesão social para mitigar problemas como o desemprego, a pobreza e o envelhecimento. Tudo através da nova geração de Contratos Locais de Desenvolvimento Social (CLDS 4G), como revela o deputado do PS eleito por Beja.
Em declarações ao "CA", Pedro do Carmo explica que os CLDS "têm por finalidade promover a inclusão social dos cidadãos, de forma multi-sectorial e integrada, através de acções a executar em parceria, para combater a pobreza persistente e a exclusão social em territórios deprimidos".
Para tal, continua o deputado, os CLDS contemplam um modelo de gestão "que prevê o financiamento induzido de projectos seleccionados centralmente, privilegiando territórios identificados como mais vulneráveis, definidos por despacho do membro do Governo responsável pela área da Segurança Social".
Pedro do Carmo refere que para a concretização dos CLDS 4G os município do Baixo Alentejo terão ao seu dispor mais de seis milhões de euros para o desenvolvimento de projectos de coesão social, "com o recurso a 42 postos de trabalho qualificados, por um período de três anos".
"Os projectos terão um enfoque especial nas vulnerabilidades identificadas: desemprego, pobreza e envelhecimento", explica o deputado, acrescentando que os actuais CLDS 3G de Aljustrel, Almodôvar e Ourique "optaram por prolongar até um máximo de 12 meses os programas em curso".
Pedro do Carmo defende que no âmbito da actual legislatura, "em que se concretizou uma reposição de rendimentos e direitos dos cidadãos", é importante "sustentar respostas de apoios social às pessoas que mais precisam, enquanto se dinamiza o tecido empresarial para gerar mais emprego e mais riqueza, através do aproveitamento do enorme potencial do nosso Mundo Rural e de marcas relevantes da nossa identidade".
"Esta visão integrada e realista da acção política, centrada nas pessoas e no território, concretiza-se também através de diversas medidas direccionadas para os que mais precisam em articulação com as autarquias locais e com parceiros neste esforço de coesão social e territorial", reforça o deputado.
O eleito socialista frisa ainda que "há um caminho que se faz caminhando". "Sempre no mesmo sentido, sempre com a mesma voz em lisboa e no Baixo Alentejo, sempre com sentido de responsabilidade e com o foco nas pessoas e no território", conclui.


COMENTÁRIOS

* O endereço de email não será publicado
07h00 - segunda, 19/08/2019
Cuidadores têm um papel essencial
Uma das "chaves" para o sucesso da Unidade Domiciliária de Cuidados Paliativos (UDCP) de Mértola são os cuidadores, por norma os cônjuges e/ou os filhos dos utentes apoiados.
07h00 - segunda, 19/08/2019
Trabalho da Unidade Domiciliária é para continuar
Com nove anos de existência no terreno, a UDCP de Mértola entrou recentemente numa nova fase da sua actuação, com financiamento garantido pelo Portugal 2020, através do POISE.
07h00 - segunda, 19/08/2019
Mértola tem unidade domiciliária
para os cuidados paliativos
A vida de Eugénio Encarnação foi passada em água, navegando noites a fio pela corrente do Guadiana a partir da Penha d'Águia.
07h00 - segunda, 19/08/2019
ART de Castro Verde
premiada pelo BPI/La Caixa
A ART-Associação de Respostas Terapêuticas, de Castro Verde, foi uma das 24 entidades recentemente distinguidas no âmbito da primeira edição do Prémio Infância do BPI/ La Caixa.
07h00 - sexta, 16/08/2019
Poupança de água
promovida em Mértola
Quatro juntas de freguesia do concelho de Mértola assinaram nesta quarta-feira, 14, com a Câmara Municipal local, as declarações de honra para a atribuição de prémios no âmbito do concurso "Dar o litro por Mértola".

Data: 09/08/2019
Edição n.º:
Contactos - Publicidade - Estatuto Editorial