07h00 - sexta, 12/07/2019

Odemira evoca a
"maré negra" de 1989

Odemira evoca a "maré negra" de 1989

Passava pouco das 14h30 quando tudo aconteceu: o mar estava calmo naquela sexta-feira, 14 de Julho de 1989, mas a neblina limitava a visibilidade a quem manobrava o petroleiro "Marão" no Porto de Sines. De súbito o navio embateu na cabec?a do molhe e danificou dois tanques de carga, libertando no mar perto de 6.000 toneladas de crude. De imediato foram colocadas em prática as medidas de minimização previstas para acidentes do género, mas nem isso impediu que a mancha de petróleo se alastrasse com a corrente. Em 24 horas o crude estava nas praias de Sines ate? Porto Covo, daí rumando para sul, passando ao largo de Vila Nova de Milfontes e chegando, a 19 de Julho, à praia do Almograve.
A "maré negra" causada pelo acidente com o "Marão" causou enormes prejuízos ambientais e económicos à região, não sendo ainda mais grave devido à acção dos cidadãos e entidades públicas e privadas que contribuíram para a reposição das condições naturais e balneares de qualidade daquela zona. Um desastre ambiental que, três décadas depois, depois, vai ser evocado pela Câmara de Odemira ao longo dos próximos dias com o evento "30 Anos do Mar Limpo", que incluirá diversas actividades para "promover a reflexão e debate sobre as causas do acidente" e as principais políticas e medidas "actualmente em vigor para prevenir e mitigar os impactes de ocorrências de poluição por hidrocarbonetos".
"Queremos chamar a atenção para esta problemática, pois ao largo da costa portuguesa passam todos os dias centenas de navios, alguns deles com matérias perigosas. Sabemos também que em Sines há um porto para gases liquefeitos e, portanto, também isso acaba por ter alguma perigosidade", justifica o presidente da Câmara de Odemira, José Alberto Guerreiro.
O programa do "30 Anos do Mar Limpo" arrancou no último fim-de-semana, com o festival "Almogrooves", tendo continuado ao longo da semana com diversas actividades de educação ambiental na praia do Almograve, e com as "Jornadas do Mar Limpo", que decorreram na Pousada da Juventude e tiveramm como mote "Como manter o mar limpo?".
Para este sábado, 13 de Junho, a partir das 21h30, está prevista a apresentação do documentário sobre o acidente na Praça dos Fuzileiros, na aldeia do Almograve, a que se segue a actuação da Banda Filarmónica de Odemira.
Finalmente, no domingo, 14 de Julho, a praia do Almograve recebe a partir das três da tarde a cerimónia evocativa dos "30 anos do Mar Limpo" e o hastear da bandeira "Mar Limpo". Depois, às 16h30, é inaugurada na Praça dos Fuzileiros a exposição "30 Anos do Mar Limpo", seguindo-se uma tertúlia com a intervenção de cidadãos que participaram de forma directa e indirecta na limpeza das praias.


COMENTÁRIOS

* O endereço de email não será publicado
07h00 - sexta, 16/08/2019
Poupança de água
promovida em Mértola
Quatro juntas de freguesia do concelho de Mértola assinaram nesta quarta-feira, 14, com a Câmara Municipal local, as declarações de honra para a atribuição de prémios no âmbito do concurso "Dar o litro por Mértola".
07h00 - sexta, 16/08/2019
Equipamentos entregues
aos Bombeiros de Aljustrel
A comissão organizadora de eventos da Associação Humanitária de Bombeiros de Aljustrel (AHBVA) promove nesta sexta-feira, 16, pelas 19h00, uma sessão de apresentação e entrega dos equipamentos adquiridos com as verbas resultantes dos eventos realizados.
09h00 - quarta, 14/08/2019
Exército Português coloca
atrelado-cisterna em Ourique
O Estado-Maior-General das Forças Armadas, através do Exército Português, pré-posicionou em Ourique um atrelado-cisterna e respectiva guarnição, constituída por militares do Exército.
09h00 - quarta, 14/08/2019
Leonor Dargent
candidata pelo
Iniciativa Liberal
A jovem advogada Leonor Dargent é a cabeça-de-lista do partido Iniciativa Liberal (IL) pelo distrito de Beja nas eleições Legislativas agendadas para o próximo dia 6 de Outubro.
07h00 - segunda, 12/08/2019
Cercicoa promove
vida independente
Um serviço que pretende chegar às pessoas "que mais dele necessitam", "diferenciador" e que garanta o exercício dos "direitos de cidadania" dos seus beneficiários: é desta forma que o presidente da Cercicoa "apresenta" o novo Centro de Apoio à Vida Independente (CAVI) da instituição.

Data: 09/08/2019
Edição n.º:
Contactos - Publicidade - Estatuto Editorial