07h00 - sexta, 18/09/2020

Programa de Apoio ao
Investimento da Diáspora
apresentado em Beja

Programa de Apoio ao Investimento da Diáspora apresentado em Beja

O Governo ambiciona aumentar o volume de investimento realizado pela diáspora em Portugal, nomeadamente nos territórios do interior ou de baixa densidade populacional, garantiu em Beja, nesta quinta-feira, 17, a secretária de Estado das Comunidades Portuguesas. Berta Nunes esteve nas instalações da CIMBAL a apresentar o novo Programa Nacional de Apoio ao Investimento da Diáspora (PNAID), visitando depois algumas empresas que constituem investimentos da diáspora no concelho de Aljustrel.
Em declarações ao "CA", a governante explicou que o PNAID, aprovado em Conselho de Ministros em agosto, pretende ajudar "qualquer cidadão nacional que esteja a viver num país estrangeiro a investir em Portugal".
"Sabemos que há muita gente nas nossas comunidades [na diáspora] que quer investir [em Portugal], mas tem várias dificuldades e não sabe como fazê-lo. E este programa pretende apoiar esse investimento e, ao mesmo tempo, dar-lhe visibilidade", disse.
A par disto, continuou a governante, o PNAID visa igualmente ajudar "as exportações e a internacionalização das empresas nacionais através da diáspora".
"É uma forma de valorizar as nossas comunidades, de ligar as comunidades a Portugal e contribuir para o desenvolvimento do nosso país e da nossa economia, principalmente no interior", acrescentou Berta Nunes, revelando que, por isso mesmo, o PNAID é "partilhado" pelas secretarias de Estado das Comunidades Portuguesas e da Valorização do Interior.
O PNAID congrega várias áreas da governação "num desígnio comum" e utiliza medidas de apoio já existentes no Orçamento do Estado ou em avisos de concurso a fundos europeus, sendo constituído por quatro eixos de ação: "Apoios e Incentivos", "Facilitação", "Informação e Divulgação" e "Promoção, Mobilização e Redes".
Entre as 25 medidas previstas, a secretária de Estado destacou a criação da figura do Estatuto de Investidor da Diáspora (EID), que segundo o programa "abre uma via de elegibilidade para os apoios, o que constitui um elemento diferenciador" e permite "incentivos próprios e dedicados", com majorações, avisos próprios e benefícios adicionais se o investimento se realizar no interior.
"O EID permitirá a quem o obtenha ter uma série de benefícios, alguns já no terreno e outros que esperamos vir a construir ao longo do tempo com os vários ministérios", explicou Berta Nunes.
Este estatuto é atribuído pela Secretaria de Estado das Comunidades Portuguesas, através de formulário 'online', tendo os requerentes de obedecer a alguns critérios, nomeadamente serem cidadãos portugueses ou terem nacionalidade portuguesa, residirem no estrangeiro ou já terem residido no estrangeiro mais de um ano e há menos de dois anos, e que o seu projeto de investimento seja em Portugal.
Outras das medidas do PNAID são a criação da Marca Investimento da Diáspora, que ajudará à promoção e divulgação dos projetos concretizados, e o lançamento de um Guia de Apoio ao Investimento da Diáspora, que reunirá, de forma sistemática, toda a informação dispersa pelos vários ministérios.
Berta Nunes frisou que para o sucesso do PNAID será essencial a Rede de Apoio ao Investimento da Diáspora, que conciliará, no plano interno, o trabalho dos gabinetes de Apoio ao Emigrante (GAE) em funcionamento nas câmaras municipais, das comunidades intermunicipais e das associações empresariais com, no plano externo, a ação de embaixadas e consulados portugueses espalhados por mais de 100 países.
"Queremos que todas as câmaras [municipais] tenham esse gabinete. E vamos ajudar a capacitar os técnicos das câmaras, no sentido de acrescentar àquilo que são as competências mais tradicionais dos GAE novas competências de apoio à atração de investimento e também de apoio à exportação e internacionalização das empresas portuguesas através das nossas comunidades", concluiu a secretária de Estado.
Nesse sentido, em Beja foram assinados nesta quinta-feira, 17, os protocolos de formação da Direcção Geral dos Assuntos Consulares e das Comunidades Portuguesas dirigida aos GAE com os municípios aderentes: Aljustrel, Almodôvar e Mértola.


COMENTÁRIOS

* O endereço de email não será publicado
07h00 - sexta, 16/10/2020
Alentejo 2020 com proposta
de reforço de verbas para
saúde e equipamentos sociais
O programa operacional regional Alentejo 2020 propôs um reforço, num montante de 14,9 milhões de euros, para as prioridades de investimento nas áreas da Saúde e dos equipamentos sociais, revela fonte oficial da CCDR do Alentejo.
07h00 - quarta, 14/10/2020
Portugal recebe
mais dinheiro na
transição da PAC
Portugal vai receber mais 359 milhões de euros para reforço do FEADER durante transição da PAC, no âmbito do Fundo de Recuperação para o sector agrícola nos anos de 2021 e 2022.
07h00 - quinta, 08/10/2020
Alentejo à conquista
do mercado muçulmano
A conquista de mais turistas muçulmanos para o Alentejo e Andaluzia (Espanha) e a abertura de "nichos de mercado" para produtos agro-alimentares das duas regiões é o objectivo do projecto transfronteiriço "Mercado Halal", a decorrer até 2022.
07h00 - quinta, 24/09/2020
IN Castro apoia
criação de 22 novos
postos de trabalho
O IN Castro-Centro de Ideias e Negócios de Castro Verde, dinamizado pela Câmara Municipal local, instruiu na íntegra um total de 16 candidaturas de empresas ao programa "+CO3SO-Emprego Interior", cuja aprovação permitirá a criação de 22 novos postos de trabalho no concelho e a concretização de um investimento global de 1265490,66 euros.
07h00 - quinta, 17/09/2020
CM Castro Verde apresenta problema da Derrama ao Governo
A Câmara de Castro Verde manifestou esta semana ao Ministério das Finanças o seu "total descontentamento" com uma nova retenção da receita da Derrama, num valor acima dos 486 mil euros, correspondente ao imposto cobrado no ano de 2008.

Data: 23/10/2020
Edição n.º:

Contactos - Publicidade - Estatuto Editorial