09h30 - terça, 24/06/2008

Bispo de Beja critica empresários da região

Bispo de Beja critica empresários da região

O bispo de Beja atribui responsabilidades aos sucessivos governos e aos empresários pela desertificação crescente do Baixo Alentejo, garantindo mesmo que estes últimos não têm sido "suficientemente criativos" apesar de incentivados pelas autoridades competentes.
Em declarações ao "Correio Alentejo", D. António Vitalino Dantas encara a desertificação, e consequente despovoamento, da região como um fenómeno comum a todas as zonas do interior da Europa, que no Baixo Alentejo tem como faces mais visíveis a diminuição da taxa de natalidade e a ausência de ofertas de emprego.
"O Baixo Alentejo teria possibilidades de se desenvolver e aumentar a sua população se se criassem incentivos à fixação das pessoas – e isso tem que ver com o tipo de trabalhos que são oferecidos", adverte o bispo de Beja, para quem os projectos empresariais que são constantemente anunciados para a região têm como debilidade o facto de empregarem pouca gente.
"Fala-se muito de projectos, mas são projectos que ocupam pouca gente. Com as novas tecnologias, quase tudo é feito de forma automática. E as populações jovens quase não têm estímulos a ficar por aqui", assegura.
Como alternativa, D. António Vitalino Dantas sugere mais apoios às empresas e empresários locais, desde que estas empreguem pessoas da região. "Devem ser dados incentivos à empregabilidade das pessoas. Espaço tem o Alentejo. E num primeiro momento vai ser preciso rejuvenescer as idades do Alentejo. Porque em muitos lugares já quase não se encontram jovens".
A isto, o bispo de Beja junta ainda o apelo ao empreendedorismo dos empresários baixo-alentejanos, que, na sua opinião, "não têm sido suficientemente criativos". "Nos incentivos que têm tido, [os empresários] não o têm feito de uma maneira correcta, investindo mais no consumo do que na modernização das suas empresas", conclui.


COMENTÁRIOS

* O endereço de email não será publicado
07h00 - quarta, 20/11/2019
Câmara de Almodôvar
distinguida pelo IEFP
A Câmara de Almodôvar foi distinguida com a marca "Entidade Empregadora Inclusiva 2019", atribuída de dois em dois anos pelo Instituto de Emprego e Formação Profissional (IEFP) como forma de reconhecer publicamente "práticas de gestão abertas e inclusivas, desenvolvidas por entidades empregadoras, relativamente às pessoas com deficiência e incapacidade".
07h00 - quarta, 20/11/2019
Junta de Mértola
incentiva poupança
A Junta de Freguesia de Mértola sorteou, no final de Outubro, aquando das comemorações do Dia Mundial da Poupança, três contas-poupança para crianças do pré-escolar e primeiro ciclo.
07h00 - terça, 19/11/2019
CDU e PS trocam
críticas em Castro Verde
As concelhias da CDU e do PS de Castro Verde emitiram comunicados onde trocam diversas críticas, com os comunistas a considerarem que os dois anos de mandato autárquico do PS no concelho têm sido de "má gestão", ao passo que os socialistas acusam a CDU de preferir "esconder a verdade" e de "não fazer oposição séria".
07h00 - terça, 19/11/2019
Câmara de Beja exige
requalificação da EN 121
A Câmara de Beja exige que o novo Governo tome "medidas rápidas" quer permitam a recuperação do pavimento da Estrada Nacional (EN) 121/ IP 8, no troço que abrange o concelho de Beja.
07h00 - terça, 19/11/2019
Ourique investe
143 mil euros
na Educação
A Câmara de Ourique viu aprovada por fundos comunitários uma candidatura no valor de quase 144 mil euros para a aquisição de equipamentos para todas as escolas do pré-escolar e do primeiro ciclo do concelho (com excepção de Ourique, que obteve financiamento há menos de 10 anos) e para a Escola Básica (EB) 2,3.

Data: 08/11/2019
Edição n.º:

Contactos - Publicidade - Estatuto Editorial