08h49 - terça, 26/07/2011

AMGAP teme privatização da Águas de Portugal e quer renegociar parceria com Governo

AMGAP teme privatização da Águas de Portugal e quer renegociar parceria com Governo

A Associação de Municípios para a Gestão da Água Pública (AMGAP) quer discutir com a ministra do Ambiente uma proposta de renegociação da sua parceria pública com o Estado, que pode estar "em risco" com a eventual privatização da Águas de Portugal (AdP).
Em declarações à Lusa esta segunda-feira, 25, o presidente da AMGAP disse que a associação vai pedir uma reunião à ministra do Ambiente para discutir uma "proposta de renegociação da parceria", porque as circunstâncias actuais são "completamente diferentes em vários pontos de vista" das que existiam quando a parceria foi celebrada.
A eventual privatização da AdP e o futuro da parceria, entre outras questões, serão discutidas na reunião, disse José Maria Pós-de-mina, que admitiu que a privatização total ou da maioria do capital da AdP pode pôr "em risco" a parceria com o Estado.
Através da parceria, a AdP, em representação do Estado, e a AMGAP, criaram em 2009 a empresa Águas Públicas do Alentejo para melhorar e gerir o abastecimento em alta e o saneamento de águas residuais nos concelhos parceiros.
A empresa, integrada no sector empresarial do Estado, é detida em 51 por cento pela AdP e em 49 por cento pela AMGAP, que é formada por 14 municípios do distrito de Beja, quatro de Évora e três de Setúbal.


COMENTÁRIOS

* O endereço de email não será publicado
22:29, Sábado, 30 de Outubro de 2020
Há privatizações que não se podem fazer
Segundo estudos dentro de 30 a 50 anos uma parte importante da Península Ibérica estará em adiantado estado de desertificação.
Os nossos principais rios nascem em Espanha (Minho, Lima, Douro, Tejo e Guadiana) e isto quer dizer que nunca controlaremos integralmente os seus caudais.
Que, segundo os media, existem empresas espanholas e francesas interessadas nesta privatização.
Ora, sem água, o nosso povo não vive e também o nosso governo perderá toda e qualquer capacidade de decisão em relação à política agrícola e energética de Portugal.
Perante este quadro, tão negro, esta questão também tem a ver com segurança nacional.
É por tudo isto que esta privatização, e outras de empresas com as mesmas características e impactos sociais, não se pode efectuar.
Caso contrário o nosso governo estará a vender-nos por um prato de lentilhas!

07h00 - segunda, 25/05/2020
Aljustrel retoma
mercados mensais
A Câmara de Aljustrel decidiu retomar a realização de mercados mensais no Parque de Feiras e Exposições da "vila mineira", ainda que mediante o cumprimento de novas regras devido à pandemia de Covid-19.
07h00 - segunda, 25/05/2020
Câmara de Almodôvar aprova
apoios às empresas do concelho
A Câmara de Almodôvar aprovou na passada semana, em reunião do executivo, um lote de candidaturas, no valor aproximado de 29591 euros, no âmbito do Programa de Apoio ao Tecido Empresarial (PATECA).
07h00 - segunda, 25/05/2020
Odemira recebeu
vigília pelas artes
A vila de Odemira foi um dos "palcos", na passada quinta-feira, 21, da vigília pelas artes e cultura em Portugal, numa iniciativa da qual acabou por nascer a Plataforma Cultura e Artes Odemira, que junta diversos artistas residentes no concelho.
07h00 - sexta, 22/05/2020
Secretário de Estado
acompanha testes à Covid
em Ferreira do Alentejo
O secretário de Estado Adjunto e da Defesa Nacional, na sua qualidade de coordenador da execução do estado de calamidade do Alentejo devido à pandemia Covid-19, vai realizar nesta sexta-feira, 22, uma visita de trabalho a Ferreira do Alentejo.
07h00 - sexta, 22/05/2020
Requalificação do lar
de Messejana deverá
avançar até ao Verão
As obras da primeira fase de remodelação e ampliação das instalações do lar da Misericórdia de Nossa Senhora da Assunção, na vila de Messejana (concelho de Aljustrel), deverão avançar entre os meses de Julho e Agosto, num investimento total superior a um milhão de euros.

Data: 15/05/2020
Edição n.º:

Contactos - Publicidade - Estatuto Editorial