00h00 - sexta, 21/12/2012

IPBeja ensina, produz... e vende

IPBeja ensina, produz... e vende

Nem só de aulas vive o Politécnico de Beja! Espaço de formação e cultura, a porta do instituto está também aberta à comunidade… e ao melhor que o Alentejo tem. O exemplo está na loja "Cubo", situado no edifício dos Serviços Comuns do IPBeja e onde se divulgam os autores e os artesãos da região, ao mesmo tempo que se vende mel, compotas, vinho ou fruta da época. Esta chega desde o Centro Hortofrutícola da instituição, situado a um par de quilómetros de Beja onde se pode respirar o ar puro do campo e aprender a fazer.
"É um espaço onde os alunos têm aulas práticas das disciplinas das unidades curriculares de horticultura, fruticultura, viticultura e olivicultura", tendo sido criado "em 1994-1995" com a instalação de "um pomar com três espécies", explica ao "CA" a docente Mariana Regato, responsável pelo Centro Hortofrutícola do IPBeja.
Actualmente, ao longo dos seus 11 hectares é possível encontrar diversas culturas, desde citrinos a pessegueiros, macieiras, amendoeiras ou nogueiras, que "exigem" muito esforço e dedicação aos alunos.
"Por exemplo, nas aulas práticas de horticultura eles é que instalam a cultura desde o princípio e vão acompanhando todo o ciclo até à parte da colheita", nota Mariana Regato.
Mas não se pense que as frutas e hortícolas produzidas pelos alunos no Centro Hortofrutícola do IPBeja são desaproveitadas!
"Após a colheita realizada no campo, a maior parte da fruta é embalada e entregue para venda no 'Cubo'", revela a técnica Idália Guerreiro, adiantando que o processo "é feito todas as semanas".
Chegada ao "Cubo", ponto de venda situado junto ao refeitório da instituição mas aberto à comunidade em geral, a fruta do Centro Hortofrutícola junta-se aos doces e ao mel da região, assim como ao vinho, ao artesanato ou aos livros.
"As pessoas já se habituaram a vir a este ponto para adquirir os produtos semanais e outros que temos o ano todo. E isto acaba por ser bom para o IPBeja, pois também faz a divulgação da sua marca, já que também temos produtos de merchandising aqui disponíveis", revela ao "CA" a técnica Fátima Raposo.




COMENTÁRIOS

* O endereço de email não será publicado
14:05, Quinta-feira, 27 de Fevereiro de 2019
PJMP
É pena o Instituto Politécnico de Beja, entrar em concorrência (desleal) com as empresas produtoras de multimédia de Beja, pois são as principais empregadoras dos seus formandos. Ao agir assim, não mais está, do que criar desempregados nesta área. Poderá não ser ilegal ! Mas eticamente é muito reprovável. É bom o IPBeja não esquecer que são estas empresas que fazem estágios curriculares e estágios profissionais na área.

07h00 - quarta, 20/11/2019
Câmara de Almodôvar
distinguida pelo IEFP
A Câmara de Almodôvar foi distinguida com a marca "Entidade Empregadora Inclusiva 2019", atribuída de dois em dois anos pelo Instituto de Emprego e Formação Profissional (IEFP) como forma de reconhecer publicamente "práticas de gestão abertas e inclusivas, desenvolvidas por entidades empregadoras, relativamente às pessoas com deficiência e incapacidade".
07h00 - quarta, 20/11/2019
Junta de Mértola
incentiva poupança
A Junta de Freguesia de Mértola sorteou, no final de Outubro, aquando das comemorações do Dia Mundial da Poupança, três contas-poupança para crianças do pré-escolar e primeiro ciclo.
07h00 - terça, 19/11/2019
CDU e PS trocam
críticas em Castro Verde
As concelhias da CDU e do PS de Castro Verde emitiram comunicados onde trocam diversas críticas, com os comunistas a considerarem que os dois anos de mandato autárquico do PS no concelho têm sido de "má gestão", ao passo que os socialistas acusam a CDU de preferir "esconder a verdade" e de "não fazer oposição séria".
07h00 - terça, 19/11/2019
Câmara de Beja exige
requalificação da EN 121
A Câmara de Beja exige que o novo Governo tome "medidas rápidas" quer permitam a recuperação do pavimento da Estrada Nacional (EN) 121/ IP 8, no troço que abrange o concelho de Beja.
07h00 - terça, 19/11/2019
Ourique investe
143 mil euros
na Educação
A Câmara de Ourique viu aprovada por fundos comunitários uma candidatura no valor de quase 144 mil euros para a aquisição de equipamentos para todas as escolas do pré-escolar e do primeiro ciclo do concelho (com excepção de Ourique, que obteve financiamento há menos de 10 anos) e para a Escola Básica (EB) 2,3.

Data: 08/11/2019
Edição n.º:

Contactos - Publicidade - Estatuto Editorial