09h46 - quinta, 19/01/2017

Estamos Trump(icados)


Napoleão Mira
No momento em que escrevo esta crónica ainda faltam alguns dias para a tomada de posse de Donald Trump. Isto quer dizer que, no momento em que o leitor a estiver a ler, esta corre o risco de estar desactualizada, tal a velocidade a que o homem perde oportunidades de estar calado.
Estou mesmo em crer que muitos eleitores que nele votaram, davam agora a ponta do dedo mindinho para poder voltar atrás.
O homem é apenas e tão só um elefante destravado numa loja de cristais!
De resto, continuo sem perceber como é que um candidato recebe menos três milhões e meio de votos e sai vencedor. Bem sei que é o sistema americano. Mas na era da electrónica, da informação instantânea, não estaria na hora de se reformar um método caduco que já não reflecte os ditames democráticos dos dias de hoje?
Aqui, ao correr dos dedos no teclado, recordo agora uma conversa tida há largos meses com um amigo que me questionava se imaginava o mundo governado por Donald Trump, Vladimir Putin, Marine Le Pen e Erdogan?
Na verdade não imaginava. Hoje, acredito piamente que esta hipótese tem grandes chances de se tornar uma realidade e, assim sendo, de regressarmos a um tempo político que julgávamos banido das nossas vidas.
O homem que os americanos elegeram para dirigir o país e, por consequência, com determinante influência em todo o planeta, é uma espécie de cilindro compressor onde a sua vontade individual – leia-se: quero, posso e mando – se sobrepõe às regras democráticas universalmente instituídas.
As suas intervenções, ainda antes da tomada de posse, não auguram nada de bom. Dispara em todas as direcções. Compra guerras internas e externas. Ameaça de dedo em riste quem a ele se oponha. Constrói muros de vergonha em vez de pontes de esperança, comportando-se como um verdadeiro caudilho do planeta.
Barack e Michelle Obama vão deixar muitas saudades.
Agora, sobre a Casa Branca, pairam nuvens negras que pressagiam tempos difíceis, quiçá de tragédia.
Ou muito me engano, ou estamos todos Trump(icados)!



Outros artigos de Napoleão Mira

COMENTÁRIOS

* O endereço de email não será publicado
11h00 - sábado, 18/11/2017
Carolina Deslandes
ao vivo em Mértola
A cantora Carolina Deslandes sobe neste sábado, 18 de Novembro, ao palco do cine-teatro Marques Duque, em Mértola, para um concerto integrado no programa do "Mês da Música".
00h00 - sábado, 18/11/2017
Antologia de textos
apresentada em Beja
A Herdade do Monte Novo e Figueirinha, no concelho de Beja, recebe na tarde deste sábado, 18, a sessão de lançamento do primeiro volume da antologia Do Mosto à Palavra.
00h00 - sábado, 18/11/2017
PCP questionou
Ministério da Educação
O PCP critica o Governo por este não ter adiantado novidades sobre a requalificação das escolas secundárias de Castro Verde, Odemira e Serpa durante a discussão na especialidade do Orçamento de Estado 2018.
00h00 - sábado, 18/11/2017
Debate sobre viola campaniça
e cante a despique em Amoreiras-Gare
O passado, o presente e (sobretudo) o futuro da viola campaniça e do canto ao baldão ou despique vai estar no centro das atenções ao longo deste sábado, 18, em Amoreiras-Gare.
11h00 - sexta, 17/11/2017
Dois dias de cante nos
restaurantes de Aljustrel
A edição de 2017 do "Cante à Mesa" continua neste fim-de-semana, 17 e 18 de Novembro, com mais uma série de sessões de cante alentejano em restaurantes do concelho de Aljustrel.

Data: 10/11/2017
Edição n.º:
Contactos - Publicidade - Estatuto Editorial