12h40 - quinta, 19/04/2018

Aproveitar os fundos da Europa


Carlos Pinto
Está em cima da mesa o processo de reprogramação dos fundos comunitários. Um trabalho necessário, no sentido de evitar que Portugal tenha de devolver verbas a Bruxelas por falta de candidaturas e investimento. Mas também uma tarefa urgente, sobretudo quando perante as inúmeras lacunas por resolver em todo o território para as quais este dinheiro vindo da União Europeia pode ser fundamental.
Parece-nos claro que poucos – e na maior parte das vezes apenas por má-fé – desdenharão os avanços proporcionados ao país pela sua adesão à Europa comunitária. Desde há 30 anos a esta parte que Portugal deu um passo de gigante na sua infra-estruturação básica, nas acessibilidades, na educação e na investigação, na inovação e na coesão social. Tudo com um grande contributo da União Europeia.
Mas não querer isto dizer que este trabalho esteja concluído. Bem pelo contrário! O caminho a trilhar é ainda longo, sinuoso e cheio de escolhos. Os problemas de hoje já não são os de antigamente e as necessidades de outrora deram espaço a outras carências. E, acima de tudo, não se pode olhar para o país todo de forma igual assim como nesta Europa a 28 (em breve a 27) as nações são todas distintas entre si.
É por tudo isto que no processo de reprogramação dos fundos comunitários – nomeadamente os que estão alocados ao Portugal 2020 – que está em marcha é preciso ser assertivo no diálogo com Bruxelas e convencer aos restantes parceiros europeus que nem todas as verbas devem ir para a tecnologia ou para economia 4.0. Porque por muito que custe às elites (lá fora e até cá dentro), em muitas zonas de Portugal (e não só) ainda precisamos de reparar estradas, de fazer novos sistemas de abastecimento e de construir novas escolas. E é para isso que o dinheiro da União Europeia (também) deve servir.



Outros artigos de Carlos Pinto

COMENTÁRIOS

* O endereço de email não será publicado
07h00 - segunda, 22/10/2018
BE que mais investimento
na Saúde para o interior
A líder do Bloco de Esquerda (BE) esteve neste domingo, 21 de Outubro, em Castro Verde, onde defendeu, no âmbito do Orçamento do Estado para 2019, um maior investimento no interior do país, sobretudo na área da Saúde.
07h00 - segunda, 22/10/2018
Vaivém Oceanário
na cidade de Beja
O Vaivém Oceanário chega a Beja nesta segunda-feira, 22 de Outubro, ficando na cidade até ao próximo domingo, 28, numa iniciativa da Empresa Municipal de Água e Saneamento (EMAS) de Beja.
07h00 - segunda, 22/10/2018
Semana gastronómica
da caça em Mértola
A Câmara de Mértola promove a partir desta segunda-feira, 22 de Outubro, a Semana Gastronómica da Caça, que vai decorrer até ao próximo domingo, 28, no âmbito de mais uma edição da Feira da Caça de Mértola.
07h00 - segunda, 22/10/2018
Almodôvar instala LED em todo o concelho
A Câmara de Almodôvar está a proceder à substituição das luminárias convencionais da rede de iluminação pública oir novas lâmpadas LED, "mais modernas, económicas, ecológicas e eficientes", num investimento de 185 mil euros.
07h00 - domingo, 21/10/2018
Quem será o campeão
distrital em 2018-2019?
João Pinto, o antigo capitão do FC Porto, o homem cujo coração só tinha uma cor (o azul e branco), assinou nos anos 90 uma das tiradas mais utilizadas no "futebolês" nacional: "Prognósticos só no fim do jogo".

Data: 12/10/2018
Edição n.º:
Contactos - Publicidade - Estatuto Editorial