06h21 - sexta, 27/05/2011

Hospital de Beja realizou primeira colheita de órgãos para transplante

Hospital de Beja realizou primeira colheita de órgãos para transplante

A primeira colheita de órgãos para transplante no Hospital de Beja realizou-se na segunda-feira. "Um passo decisivo para se tornar uma unidade dadora e entrar de vez no processo nacional de colheita e doação de órgãos", disse José Aníbal Soares, director clínico da Unidade Local de Saúde do Baixo Alentejo (ULSBA), que gere o hospital.
O hospital de Beja, "apesar de ter tido e ter enviado muitos doentes dadores para outras unidades hospitalares", nunca tinha feito nenhuma colheita de órgãos, porque "não dispunha da estrutura necessária".
Entretanto, com a criação da Equipa de Coordenação Hospitalar de Doação da ULSBA, o hospital de Beja "conseguiu montar a estrutura necessária para entrar no campo da colheita e ser uma unidade dadora de órgãos", disse, precisando que a primeira colheita de órgãos, que "desbravou o caminho", realizou-se na madrugada da passada segunda-feira.
Depois de confirmada a morte cerebral do doente e de terem sido "efectuados todos os procedimentos legais aplicáveis", explicou José Aníbal Soares, a Equipa de Coordenação Hospitalar de Doação da ULSBA preparou o dador e os órgãos para a colheita.
A equipa contactou o Gabinete de Coordenação de Colheita e Transplantação do Centro Hospitalar de Lisboa Central - Hospital de São José, que enviou para o Hospital de Beja a equipa que procedeu à recolha dos órgãos, disse José Aníbal Soares, escusando-se a precisar que órgãos foram recolhidos e doados.
Em Portugal, é dador multiorgânico qualquer doente em situação clínica de morte cerebral, desde que não seja portador de doença infecciosa ou neoplásica com potencial metastático, seja cidadão nacional ou estrangeiro residente no país e não esteja inscrito no Registo Nacional de Não Dadores.


COMENTÁRIOS

* O endereço de email não será publicado
07h00 - quarta, 12/08/2020
Seca no Parque Natural
do Sudoeste Alentejano
preocupa autarcas
Os presidentes das câmaras municipais de Odemira, Sines, Aljezur e Vila do Bispo manifestaram-se preocupados com a seca que afecta as bacias do Mira e do Barlavento algarvio, exigindo "a elaboração de planos de contingência" para fazer face a uma situação que "tende a agravar-se".
07h00 - quarta, 12/08/2020
Castro Verde: Presidente da Assembleia Municipal renuncia ao cargo
A presidente da Assembleia Municipal de Castro Verde, Ana Paula Baltazar, eleita pela CDU, apresentou a sua renúncia ao cargo e ao mandato de vogal neste órgão na noite desta terça-feira, 11, em sessão extraordinária da Assembleia.
07h00 - quarta, 12/08/2020
CM Ourique faz obras nos balneários
do pavilhão da EB 2,3/ Secundária
A Câmara de Ourique está a proceder a obras no interior e na cobertura dos balneários do pavilhão da Escola Básica (EB) 2,3/ Secundária local, num investimento avaliado em cerca de 23 mil euros.
12h00 - terça, 11/08/2020
Regantes do Roxo querem
água a preço "mais justo"
Os regantes beneficiados pelo perímetro de rega do Roxo, no concelho de Aljustrel, defendem um "ajustamento" do preço cobrado pela água do Alqueva, por forma a garantir a "rentabilidade" das explorações agrícolas.
07h00 - terça, 11/08/2020
Autarca de Ourique exige
rapidez na ligação entre
o Roxo e Monte da Rocha
O presidente da Câmara Municipal de Ourique, Marcelo Guerreiro, insiste na necessidade de o projecto de ligação da albufeira do Monte da Rocha, situada no concelho, ao Alqueva avançar "o mais rapidamente possível".

Data: 07/08/2020
Edição n.º:

Contactos - Publicidade - Estatuto Editorial