08h49 - quarta, 14/12/2011

A taxa de execução do Programa InAlentejo mais do que duplicará este ano

A taxa de execução do Programa InAlentejo mais do que duplicará este ano

A taxa de execução do Programa Operacional do Alentejo, InAlentejo, mais do que duplicará este ano, passando dos cerca de 10 para 21 por cento, o que equivale a 183 milhões de euros de fundos comunitários.
Este foi um dos indicadores do InAlentejo divulgados em Évora, numa sessão em que foi apresentado um balanço deste programa operacional regional e reveladas as medidas da reprogramação que vai sofrer.
O presidente da Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional (CCDR) do Alentejo, João Cordovil, explicou que a taxa de execução do InAlentejo, que tem uma dotação global de 869 milhões de euros, se situava em "cerca de 21 por cento", a 30 de Novembro.
"Iremos apurar mais algum valor significativo em Dezembro, o que quer dizer que mais do que duplicaremos a execução" do programa, em comparação com 2010, realçou o responsável.
Já a taxa de pagamento, também segundo dados de 30 de Novembro, rondava os 27 por cento, o que corresponde a 234,4 milhões de euros de apoios comunitários pagos.
Ainda que admitindo estes resultados como "insuficientes", João Cordovil frisou que o programa está em aceleração desde 2010 [altura em que iniciou funções como presidente da CCDR], depois de três primeiros anos que foram "de lançamento".
"O programa arrancou tardiamente e de forma lenta. No final de 2009, estávamos com três por cento de execução e, passado um ano, triplicámos essa taxa. Agora, temos 21 por cento", lembrou, realçando: "Há uma aceleração nítida".
Mas, para 2012, esta tendência tem de continuar a até intensificar-se, assegurou o presidente da CCDR, afirmando que, no próximo ano, o InAentejo tem de atingir "velocidade de cruzeiro, com maior nível de realização".


COMENTÁRIOS

* O endereço de email não será publicado
07h00 - quarta, 12/08/2020
Seca no Parque Natural
do Sudoeste Alentejano
preocupa autarcas
Os presidentes das câmaras municipais de Odemira, Sines, Aljezur e Vila do Bispo manifestaram-se preocupados com a seca que afecta as bacias do Mira e do Barlavento algarvio, exigindo "a elaboração de planos de contingência" para fazer face a uma situação que "tende a agravar-se".
07h00 - quarta, 12/08/2020
Castro Verde: Presidente da Assembleia Municipal renuncia ao cargo
A presidente da Assembleia Municipal de Castro Verde, Ana Paula Baltazar, eleita pela CDU, apresentou a sua renúncia ao cargo e ao mandato de vogal neste órgão na noite desta terça-feira, 11, em sessão extraordinária da Assembleia.
07h00 - quarta, 12/08/2020
CM Ourique faz obras nos balneários
do pavilhão da EB 2,3/ Secundária
A Câmara de Ourique está a proceder a obras no interior e na cobertura dos balneários do pavilhão da Escola Básica (EB) 2,3/ Secundária local, num investimento avaliado em cerca de 23 mil euros.
12h00 - terça, 11/08/2020
Regantes do Roxo querem
água a preço "mais justo"
Os regantes beneficiados pelo perímetro de rega do Roxo, no concelho de Aljustrel, defendem um "ajustamento" do preço cobrado pela água do Alqueva, por forma a garantir a "rentabilidade" das explorações agrícolas.
07h00 - terça, 11/08/2020
Autarca de Ourique exige
rapidez na ligação entre
o Roxo e Monte da Rocha
O presidente da Câmara Municipal de Ourique, Marcelo Guerreiro, insiste na necessidade de o projecto de ligação da albufeira do Monte da Rocha, situada no concelho, ao Alqueva avançar "o mais rapidamente possível".

Data: 07/08/2020
Edição n.º:

Contactos - Publicidade - Estatuto Editorial