11h00 - segunda, 10/09/2012

Grupo de trabalho defende "mudança de paradigma" para o aeroporto de Beja (ACT.)

Grupo de trabalho defende "mudança de paradigma" para o aeroporto de Beja (ACT.)

O grupo de trabalho criado pelo Governo para avaliar as possibilidades de desenvolvimento do aeroporto de Beja defende que o equipamento necessita de uma "mudança de paradigma" do seu modelo de negócio, assumindo-se como aeroporto industrial e continuar a fazer parte da rede da ANA – Aeroportos de Portugal, apesar da empresa ir entrar em processo de privatização.
No relatório entregue na última quinta-feira, 6, ao secretário de Estado das Obras Publicas e Comunicações, Sérgio Monteiro, o grupo de trabalho propõe a definição de uma "estratégia objectiva" de curto e médio prazo, assente, sobretudo, no conceito de "aeroporto indústria", tanto aeronáutica ou de manutenção, assim como formação, agro-indústria e actividades em geral que necessitem de utilizar o aeroporto.
"É exactamente essa valência que pode desenvolver ao aeroporto de Beja numa estratégia de curto e médio prazo com mais consistência. Aliás, essa valência acaba por ser única em todos os aeroportos nacionais, porque nem Faro, nem Lisboa nem Porto têm a possibilidade de ter uma zona industrial anexa ao aeroporto. E só o facto dessa especificidade ser característica do aeroporto de Beja leva a que seja elevado para o primeiro patamar de uma estratégia", vinca ao "CA" o líder do grupo de trabalho, João Paulo Ramôa <b><i>[ver entrevista em www.correioalentejo.com]</i></b>.
Para tal, o grupo de trabalho espera que a zona industrial junto ao aeroporto tenha "condições especiais e características discriminatórias positivas", entre as quais diversas isenções e incentivos fiscais ou a criação de uma entidade financeira específica de capital de risco, de modo a complementar o investimento privado.
A dotação uma verba própria para quem se instalar no local ao abrigo do próximo Quadro Estratégico Comum (2014-2020), a alteração das condições de disponibilização dos terrenos, com condições especiais de instalação e custos mais reduzidos; e o aproveitamento das diversas potencialidades da existência de uma zona industrial "do lado ar" são outros dos requisitos considerados essenciais para a futura zona industrial.
Na estratégia de curto e médio prazo defendida pelo grupo de trabalho o transporte de passageiros e de carga também são considerados pilares prioritários, ainda que sejam colocados num "patamar posterior".
Nesse sentido, argumenta o relatório, o transporte de passageiros deve visar o apoio ao aeroporto de Faro, ao turismo no Alentejo e à aviação executiva/ <i>premium</i>, enquanto que a área do transporte de carga/ logística deve, acima de tudo, servir a região e partilhar oportunidades com o sul e centro do país.
Entre as principais linhas estratégicas para o desenvolvimento do projecto surgem ainda o desenvolvimento de uma importante campanha de comunicação, o envolvimento das estruturas económicas e sociais da região na consolidação do projecto através de um Conselho Consultivo, e a consideração do aeroporto bejense de um "ponto de vista nacional integrador, atendendo à sua especificidade de 'aeroporto indústria' e de 'aeroporto <i>premium</i>' para Lisboa e para o sul do país".
Para médio e longo prazo, o grupo de trabalho defende o desenvolvimento de um <i>cluster</i> aeronáutico nacional e a criação de um fundo regional de captação de rotas, no sentido de transformar a infra-estrutura bejense num aeroporto turístico de <i>inbound</i>.


COMENTÁRIOS

* O endereço de email não será publicado
21:34, Segunda-feira, 10 de Setembro de 2018
Reinaldo Louro
Um trabalho de grupo excelente com desejo sincero que possa ser concretizado o mais breve possível !

Sinónimo de capacidade, competência e conhecimento !

07h00 - terça, 18/09/2018
Protocolo entre
Câmara de Aljustrel
e Associação Dignitude
A Câmara de Aljustrel e a Associação Dignitude assinaram nesta segunda-feira, 17, um protocolo de colaboração tendo em vista a concretização do programa ABEM-Rede Solidária do Medicamento no concelho.
07h00 - terça, 18/09/2018
EMAS Beja alcança
os melhores resultados
dos últimos 10 anos
A Empresa Municipal de Água e Saneamento (EMAS) de Beja faz um balançao "extremamente positivo" dos trabalhos da intervenção global de substituição de ramais que decorre por todo o concelho de Beja desde o início de 2018.
07h00 - terça, 18/09/2018
Vestígios arqueológicos
encontrados em Ourique
As obras de requalificação do centro histórico de Ourique, promovidas pela autarquia local, revelaram um conjunto de importantes testemunhos patrimoniais reveladores da história da vila, da população e dos seus hábitos comunitários de outros tempos.
07h00 - segunda, 17/09/2018
CIMBAL apresenta contributos
ao Plano Nacional de Investimentos
A modernização e electrificação da linha ferroviária do Alentejo e a afirmação do aeroporto de Beja como a Lisboa e Faro são duas das propostas apresentadas pela CIMBAL para o Plano Nacional de Investimentos (PNI) 2030.
07h00 - segunda, 17/09/2018
CIMAL quer fundos da UE
para água e saneamento
Os presidentes das cinco câmaras que foram a Comunidade Intermunicipal do Alentejo Litoral (CIMAL) reúnem nesta segunda-feira, 17 de Setembro, em Lisboa, com o secretário de Estado do Ambiente, Carlos Martins.

Data: 14/09/2018
Edição n.º:
Contactos - Publicidade - Estatuto Editorial