05h59 - domingo, 18/11/2012

Beja: Herdade Paço do Conde pretende apostar no enoturismo e acentuar exportações

Beja: Herdade Paço do Conde pretende apostar no enoturismo e acentuar exportações

Apostar mais nas exportações e definir uma estratégia consistente na área do enoturismo são os dois principais desafios da Sociedade Agrícola Encosta do Guadiana, produtora dos vinhos Paço do Conde. Segundo o seu administrador, José Castelo-Branco, o tempo não está fácil para ninguém mas, graças a uma relação qualidade/preço "muito boa", a adega tem conseguido "crescer cerca de 30%" nas vendas.
"Claro que o consumidor olha para a relação qualidade/preço e isso é cada vez mais determinante em todo o lado, sobretudo com a grande quantidade de marcas disponíveis. No nosso caso, esse é um factor de competitividade", afirma ao "CA", salientando que o "grande segredo" dos vinhos Paço do Conde é serem produzidos numa região que "é extraordinária para produzir vinho".
Pronto para novos desafios, José Castelo-Branco optou por tirar os seus vinhos das prateleiras das grandes superfícies. Uma decisão estratégica por não aceitar "as margens [de lucro] muito esmagadas" e por recusar "praticar preços abaixo do custo [de produção], como seria possível a curto ou médio prazo".
"É uma decisão económica e financeira. Entregámos o nosso produto a distribuidores locais que não fazem campanhas em que as pessoas 'pagam uma garrafa e levam três' ou 'compram uma caixa e levam outra'. São promoções muito caras para os produtores e, por isso, não podem ser feitas constantemente", explica.
Com cerca de 60/70% de garrafas vendidas no mercado externo e "a preços superiores aos que se conseguem praticar" em Portugal, Castelo-Branco destaca os resultados na América do Sul, especialmente no Brasil. E tem crescido muito nos Estados Unidos e no Canadá, começou recentemente a exportar para a China e tem quotas de mercado assinaláveis em toda a União Europeia – "Com grande satisfação nossa, muito recentemente entrámos na Alemanha e na Polónia", revela.
Para o futuro, o empresário quer apostar no enoturismo! Com o sector a registar evolução e o conceito do vinho de quinta a ser muito valorizado, Castelo-Branco está consciente que "os importadores querem ver a adega e as condições da produção".
"Isso é essencial e é bom que venham ver uma produção que não é industrial! É familiar e isso é um factor de muita competitividade. Nós também temos de entrar nessa oferta do enoturismo, cada vez com mais qualidade, atenção e acompanhamento pessoal", define.


COMENTÁRIOS

* O endereço de email não será publicado
00h00 - sábado, 26/05/2018
Vítimas de violência
doméstica com novo
apoio em Mértola
A Câmara de Mértola, através do Núcleo de Educação e Desenvolvimento Social, conta desde este mês de Maio com um serviço de atendimento às vítimas de violência doméstica.
07h00 - sexta, 25/05/2018
Carlos Moedas participa em iniciativas em Beja
O bejense Carlos Moedas, actual comissário Europeu para a Investigação, Ciência e Inovação, vai estar nesta sexta-feira, 25, na cidade de Beja, participando em duas iniciativas.
07h00 - sexta, 25/05/2018
Procuradora japonesa
no Lab UbiNet do IPBeja
A procuradora do Ministério Publico de Tóquio, capitão do Japão, visita nesta sexta-feira, 25 de Maio, o laboratório UbiNET do Instituto Politécnico de Beja (IPBeja).
07h00 - sexta, 25/05/2018
Professor de Beja acusado de
536 crimes de abuso de menores
Um professor de 48 anos de Beja foi acusado pelo Ministério Público de Beja de um total de 536 crimes, na sua maioria de abuso sexual de quatro crianças.
07h00 - quinta, 24/05/2018
Alunos de Aljustrel
apresentam propostas
A Assembleia Municipal de Aljustrel vai debater em Junho as duas propostas mais votadas pelos alunos durante a última sessão Assembleia Munucipal Jovem, que teve como tema "Marketing Territorial: Património (histórico, mineiro e religioso)".

Data: 18/05/2018
Edição n.º:
Contactos - Publicidade - Estatuto Editorial